ENTRETENIMENTO A SERVIÇO DA EDUCAÇÃO E DA ESPIRITUALIDADE

POR QUE AS CRIANÇAS SÃO IMPORTANTES PARA A IGREJA?

As crianças são os membros da Igreja de amanhã vivendo na igreja de hoje. Muitas pessoas que hoje são membros ativos de suas igrejas deram seus primeiros passos na fé durante a escola dominical ou no louvor infantil. Trabalhar com crianças é um investimento para o futuro!

Há, ainda, mais uma importante observação a ser feita: os pais podem ser alcançados através dos seus filhos. Isto é evidenciado através de um exame detalhado da membresia da igreja. Os pais aprendem com seus filhos e, através deles, reaproximam-se da fé. Para muitos pais o nascimento de um filho é um ‘evento espiritual’. Surgem novos questionamentos sobre a vida. Isto também confirma-se através de dados estatísticos. Pessoas, entre 20 e 30 anos de idade, quando se tornam pais, e que não têm mais nenhum contato com igreja ou com a fé – um grande número de pessoas -, podem, nestes momentos de suas vidas, serem novamente abordadas a respeito da fé. No mundo de hoje, o nascimento do primeiro filho é um momento singular. O ponto de vista sobre determinadas coisas até aquele momento muda bastante, talvez, mais até do que com o casamento. Esta transformação de vida está associada a muitas inseguranças e a uma busca por orientação. As discussões sobre o significado da vida e a espiritualidade são novamente atualizadas. Dentro da imensa massa de diferentes ofertas de significado ou orientações, muitos pais jovens ainda mantém uma tendência, originada em sua formação cristã, que os direciona à igreja evangélica.

Perguntas feitas pelos filhos fazem com que os pais abram os olhos para perguntas não respondidas sobre sua própria vida e sua fé. Questionamentos e respostas dos filhos podem abrir uma nova porta de entrada para a espiritualidade dos pais. Perguntas que eles já não se faziam há muito tempo reaparecem, ‘suplicando’ por um novo significado:

Qual o sentido da minha vida, agora que não sou mais responsável só por mim mesmo?

Onde posso achar orientação?

Quem garante proteção para meu filho, que precisa de segurança nesse mundo obscuro e de futuro incerto?

Por que me questiono a respeito da morte diante dessa ‘vidinha’ recém-chegada ao mundo?

Como acho um novo caminho, se eu deixei a oportunidade escapar?

A sensibilização dos jovens pais a respeito da fé é um ponto importante para o desenvolvimento da igreja. Ao mesmo tempo é importante, dentro deste espírito de crescimento, que as crianças não sejam usadas apenas como instrumento para alcançar seus pais. Trabalhar com crianças já é importante por si mesmo. O fato de os pais se tornarem mais sensíveis ao Evangelho é um ótimo lucro.

(…)

CADA VEZ TEM MENOS TEMPO PARA AS CRIANÇAS

As mudanças ocorridas na vida familiar irão influenciar o modo como a criança vê o mundo. Em muitas famílias, pai e mãe trabalham fora. Ter tempo para os filhos entra em conflito com outros interesses e obrigações. Isto tem um efeito alienante sobre as crianças, cuja babá passa a ser a TV ou o computador. Duas consequências podem se desenvolver a partir disso:

a) Uma delas é que um trabalho com crianças precisa garantir que haja tempo suficiente destinado a deixar aflorar um sentimento de sossego e de pertencer. No nosso ritmo de vida acelerado, viagens ao mundo do ‘faz de conta’, exercícios de silêncio e outros métodos parecidos têm uma importante função para o desenvolvimento da criança. Temos uma tendência a focar mais os resultados (o lanche terminado sem nada derramado no chão, o desenho pintado, a colagem feita, a sala arrumada, a programação cumprida) e cada vez menos as atitudes e os sentimentos da crianças estão envolvidos no como elas fazem e participam dessas coisas.

b) Além disso, algumas considerações precisam ser feitas sobre quando oferecer eventos para as crianças, para não entrar em conflito com o tempo que os pais têm disponível para os seus filhos. Para muitas famílias, a manhã de domingo é o único tempo livre para ficarem uns com os outros.

 

Extraído de “COMO AS CRIANÇAS VIVENCIAM DEUS”

Capítulo 3 – “De Promiseland à Geração Futuro”

Eva Witte, Rabea Rens e Peter Barz

2000

Editora Reflexão

São Paulo

Baixar em PDF