ENTRETENIMENTO A SERVIÇO DA EDUCAÇÃO E DA ESPIRITUALIDADE

…E NADA ACONTECEU

SENHOR MILAGRE

KPADSTKSENHORMILAGRE

Houve uma época na qual ele fez tudo que as igrejas sugeriam, em busca de uma solução. Para ‘tocar a arca’, ele se prostrou ao chão. Determinou a restituição, querendo ‘de volta’ o que era dele. Marchou com pés firmes e seguros, como se andasse sobre as águas. Amarrou qualquer interferência sobrenatural. Derramou lágrimas. E mais lágrimas. Acordou vários dias afirmando que ‘hoje o meu milagre vai chegar’. E que a vitória era dele por direito, por herança. Bradou com os punhos fechados, pulou, cantou até perder a voz.

Mas o milagre, enfim, não veio. Nada aconteceu. E ele aprendeu que coisas ruins acontecem a pessoas boas. Que, em alguns momentos, somos vítimas das circunstâncias, casualidades, ou mesmo de um mundo que não jaz no Divino.
Perdeu a última semente de esperança, como se a fogueira desse um suspiro final e o fogo chama espirasse – o milagre que poderia trazer de volta sua alegria, jamais se concretizou. Foram anos para conseguir encarar a vida de uma forma diferente. Momentos de desânimo, de revolta, de insegurança. Insegurança mesmo, que entrou no lugar daquela certeza que havia anteriormente, que dizia que na hora certa viria uma solução.

Nada do prometido nos discursos e sermões aconteceu para ele. Como também não aconteceu para outras pessoas que passaram por maiores e menores infelicidades na vida. Ele diz que a figura que vem à sua mente, quando se lembra de tudo que ficou para trás, é a do Senhor Milagre – o super-herói, criado por Jack Kirby, um especialista em fugas fantásticas.

SENHORMILAGRE2Geralmente o Senhor Milagre se envolve em uma história que vai deixá-lo amarrado, algemado, preso numa caixa à prova de arrombamento ou diante de qualquer outra situação impossível de se resolver por um ser humano comum. Usando uma habilidade desenvolvida desde a infância – e com um ou outro apetrecho especial – logo o Senhor Milagre consegue fugir do problema e aparece são e salvo. E jamais revela o segredo.

Ele diz que se lembra do Senhor Milagre porque era dessa habilidade que precisou, em vários momentos da vida. Nem a explicação seria necessária, não fazia conta de descobrir a rota de fuga. Não precisava saber, afinal, como o feito espetacular se tornou real, apenas que tinha ocorrido. Mas o feito espetacular não aconteceu.

Parece até que o Senhor Milagre é a figura que se forma a partir das pregações modernas. Homens e mulheres que podem ter uma habilidade mágica de escapar das situações adversas, subvertendo a realidade e a incredulidade alheia.

Colecionamos gerações que não aprenderam que os milagres, se acontecem, e quando acontecem, tem a finalidade de direcionar o coração do homem ao Criador. O propósito não é o benefício humano – e nunca foi.

SENHORMILAGRE3O escritor T. S. Eliot, um dos mais influentes do século 20, gostava de contar uma história sobre uma loja com um maravilhoso cartaz oferecendo pães à venda por um dólar. Era a mais bela e apetitosa representação de um pão, capaz de fazer qualquer pessoa salivar. Uma pintura quase divina, repleta de perfeição. Dentro dessa loja, o cliente faminto, com um dólar na mão, descobre que aquilo que se vende ali são os cartazes de pão, cada um, realmente, por um dólar. Não há comida alguma, nem cheiro de trigo. T. S. Eliot dizia que a Igreja era exatamente como aquela loja. Tenta vender o cartaz, a figura, ao invés do conteúdo.

O amigo do qual fala o texto, diz que mudou sua forma de se relacionar com a vida. Não se ilude mais pelo cartaz da loja, agora ele vai atrás do pão verdadeiro. Mesmo que caia numa armadilha, vez ou outra. Sabe até que vai desfalecer nessa ou naquela situação da vida. De uma ou de outra poderá sair vitorioso, mas isso não importa tanto. Ele já desistiu do milagre. Ficou com o Senhor do milagre.

 

 

Baixar em PDF