ENTRETENIMENTO A SERVIÇO DA EDUCAÇÃO E DA ESPIRITUALIDADE

O LADRÃO VEM PARA ROUBAR…

kpadstkirmaosmetralha
IRMÃOS METRALHA

Esse mundo das histórias em quadrinhos é, realmente, curioso.

Foi graças às tirinhas do Snoopy, de Charles Schultz, que os cães da raça beagle ficaram mais conhecidos em todo mundo. A intenção do autor nem era essa, já que o personagem principal das primeiras tirinhas era Charlie Brown (Peanuts ou “Minduim”). Mas foi o cachorrinho branco com pintas pretas que fez sucesso. Com seu jeito filosófico, Snoopy virou o representante dos beagles.

irmaosmetralha1No reino Disney também existe um personagem inspirado nessa raça de cães. Um, não, um grupo inteiro. Uma família, mais precisamente – Beagle Boys. No Brasil, eles são conhecidos como “Irmãos Metralha”. Pois é, acredite, a família de ladrões mais odiada pelo Tio Patinhas, quem diria, tem grau de parentesco com o pacato Snoopy.

Os “Irmãos Metralha” apareceram nos quadrinhos em 1951, criados pelo genial Carl Barks na aventura “O Vil Metal e os Vilões”. Não dá para não concordar que eles surgiram com alguma simpatia. Uma família de criminosos ambiciosos, atrapalhados, de fisionomia semelhante e identificados apenas por uma diferente combinação de números.

A Bíblia não fala dos cães beagle, nem dos “Irmãos Metralha”. Porém, a Palavra de Deus fala sobre ladrões.

Jesus se refere a eles, em mais de uma ocasião. Uma dessas passagens está no evangelho de João, capítulo 10, versos 9 e 10: “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”

irmaosmetralha4Seja na vida real, seja no universo de fantasia dos gibis, o ladrão existe para tomar aquilo que não lhe pertence – sem piedade, muitas vezes à base da violência.

Quando não consegue subtrair – ou mesmo quando consegue, por crueldade – o ladrão também e causa dor. Às vezes, mata. E, assim, destrói lares inteiros.

Os seguidores de Jesus devem ter se identificado com essa ilustração, narrada pelo Mestre. Possivelmente cansados da injustiça e de ficarem à mercê da criminalidade e dos cobradores de impostos, esperavam um ato de justiça.

Mas não é o que traz a segunda parte do texto. Jesus não diz que veio para impedir o ladrão de roubar, para convencê-lo a abandonar essa vida ou para restaurar os danos que eles trouxeram. Jesus também não diz que veio para prender os criminosos ou lançar culpa em seus corações. Como se virasse o olhar para outra direção, oposta, Cristo mostra que esses problemas sempre estarão ao nosso redor, e que Ele veio para que nos dar a suficiência absoluta de algo que não pode ser destituído.

A vida que Deus nos oferece é em abundância, e não pode ser roubada ou destruída pelos ladrões. Qualquer riqueza pode ser “limpa” por uma quadrilha como os “Irmãos Metralha”; qualquer família pode ser aterrorizada por uma facção criminosa. Ainda assim nos restará um tesouro que não pode sequer ser tocado pelo crime. Na segurança do nosso coração habita a dádiva da vida plena que o Salvador nos concede – e que vai além desse mundo.

irmaosmetralha2Lembre ainda que foi ao lado de malfeitores, tão ou mais cruéis que os “Irmãos Metralha”, que Jesus foi crucificado. E que um desses ladrões teve a lucidez, a clareza de espírito de reconhecer o Filho de Deus como Salvador. Com isso, ganhou o direito de se encontrar com Cristo na glória celestial.

Há esperança, até para os criminosos.

E também há esperança pra gente, quem sabe como você, que esconde um “crime” no coração. Que está cansado de ser julgado e condenado pelo seu comportamento ou pensamento. Que se sente julgado pelas pessoas e por você mesmo! Que busca uma libertação efetiva.

Não deixe o ‘ladrão da alma’ te manter aprisionado ou viver com medo das algemas. Deixe Jesus te perdoar e libertar.

Baixar em PDF