ENTRETENIMENTO A SERVIÇO DA EDUCAÇÃO E DA ESPIRITUALIDADE

NUNCA BAIXE OS BRAÇOS

Publicado no 10% de Inspiração

Quando criança, tive alguns problemas que me deixavam triste e, por muitas vezes, sem vontade de ir ao colégio ou mesmo sair de dentro do meu quarto. Chorava muito e fingia estar doente o tempo todo, evitando e com medo do ambiente escolar. Isso mesmo, eu sofria bullying. E isso muito antes dessa palavra virar moda.

Não era normal um guri de 10 anos abatido e o tempo todo “doente”. Meus pais na época não souberam muito bem o que fazer com a situação e continuavam me mandando para o colégio, dizendo que eu estava de manha e fazendo cena.

Bom, não é preciso dizer que não foram anos bons, mas eles passaram e eu sobrevivi, me tornando alguém que aprendeu a superar dificuldades e a “vilania” da infância que tanto me atormentou. E sabe como eu superei tudo isso? Com SUPER HERÓIS.

Sim, isso mesmo que você leu, super heróis. Eles eram minha zona de escape de uma vida ruim. Como estudava à tarde, eu tinha a manhã livre, e de manhã eu aproveitava para assistir muitos desenhos e tokusatsus. Há vinte anos atrás a TV aberta tinha uma programação matinal incrível, e esses desenhos me passaram lições que vou levar para toda minha vida.

Com o Ranger Verde (Tommy) aprendi que podemos escolher o caminho a seguir, e independentemente de qualquer coisa, sempre temos a escolha de fazer o que é certo.

Com o Superman, que podemos sempre fazer a diferença se seguirmos nossos ideais.

Com o Fly, que a força de enfrentar seus medos está dentro de você.

Com as Tartarugas Ninja e os X-Men entendi que, mesmo sendo diferente, eu ainda podia fazer o que era certo.

Batman me mostrou que traumas podem te dar um objetivo para lutar.

Homem Aranha me fazia acreditar que, um dia, um menino tímido e sem amigos daria a volta por cima e se tornaria uma lenda.

E, por fim, o Goku, Dragon Ball era o que mais eu assistia quando criança e, na boa, ele é um personagem incrível.

Eu fortalecia demais minha alta estima assistindo DBZ. Quando ele se transformou em Super Sayajin contra o Freeza foi demais. Eu, um garoto franzino, via nele uma força para continuar em frente, e que se tudo que eu fizesse não fosse suficiente, um dia minha força interior iria despertar e eu iria sair desse buraco que eu me encontrava.

Uma vez, rodando na internet, vi um meme, “o que o Goku me ensinou”, e a lição mais valiosa lá era, “NUNCA BAIXAR OS BRAÇOS POR MAIS DIFÍCEIS QUE AS COISAS SEJAM”.

A Genki Dama até hoje me arrepia.

Esses super heróis me fizeram quem eu sou hoje, me deram esperança, vontade de fazer o bem, senso de justiça e principalmente CORAGEM para fazer o que é certo, independentemente do tamanho do problema.

Sou muito grato a todos esses seres, agradeço os exemplos que me deram e prometo honrar esses valores para todo o sempre.

Inspire-se.

#10porcentodeinspiracao

Baixar em PDF